Pesquisar este blog

Carregando...

Seguidores

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O QUE DIZEM SOBRE A SAÚDE EM SUZANO?

“Fizeram todos os exames e fui muito bem tratada, não precisei operar porque tinha bastante calcificação, só fiquei imobilizada. Quando sai da Santa Casa, uma ambulância vinha me buscar numa maca para levar a Santa Casa e depois me trazer. Quando estava recuperada fui a um especialista em São Paulo e ele me disse o mesmo que os médicos daqui tinham dito”, relata Antonia Valdivina de Oliveira, que caiu de uma laje e foi atendida na Santa Casa de Suzano.
“Tive o meu bebê há dois meses e, apesar de ser mãe pela quarta vez, aprendi coisas de como cuidar do bebê que não sabia. Eu gostei muito da palestra que eles dão no Programa Aconchego. Acho esse atendimento muito bom, não só pelo kit, mas pela palestra que me esclareceu muito”, disse Vanessa da Silva Santos, que deu a luz aos outros três filhos em Ribeirão Pires. “Gostei por ter me informado quando estive na Santa Casa para ter o Kauã. Já estava sem liquido então tiveram que fazer uma cesárea, mas ele nasceu bem e no dia seguinte da alta eles pediram que eu retornasse e fizeram exames nele para ver se estava tudo bem. Melhorou muito o atendimento lá”, diz a jovem Karina de Almeida Gregório, que teve seu primeiro bebê há três meses na maternidade da Santa Casa de Suzano.


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Lançamento do Relatório Direitos Humanos no Brasil 2011


A Rede Social de Justiça e Direitos Humanos e o SESC Consolação convidam para o lançamento da 12ª edição do relatório Direitos Humanos no Brasil. O livro é publicado anualmente e conta com a contribuição de mais de 30 organizações sociais.

Política agrária, segurança pública, direito ao trabalho, à educação, à habitação, direitos das comunidades indígenas e quilombolas, questões raciais e de gênero, estão entre os temas tratados pelos autores.

Veja matéria completa no http://josecandido.com.br/lancamento-do-relatorio-direitos-humanos-no-brasil-2011

Deputado José Candido é indicado para compor Comissão Estadual de Ex-Presos Políticos

Deputado José Candido
Reunidos na última quarta-feira, 30/11, os deputados que compõem a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, da Cidadania, da Participação e das Questões Sociais, presidida pelo deputado Adriano Diogo (PT), indicaram o deputado José Candido (PT), como titular, [...]

Veja materia completa no http://josecandido.com.br/

Por políticas de inclusão dos moradores em situação de rua!

RESUMO DO DISCURSO

Discurso proferido durante a 151ª. Sessão Ordinária realizada em 07.12.2011

Sr. Presidente, Srs. Deputados e Sras. Deputadas, público presente nas galerias, que são muito bem-vindos, antes de tudo quero parabenizar a cidade de Guarulhos, que ao longo do tempo tem sido governada por bons prefeitos. O deputado Eloi Pietá começou no ano de 2000 e o deputado Almeida está dando continuidade. A cidade cresceu com muito mais dignidade nesses últimos 12 anos. Parabéns à cidade de Guarulhos por mais um aniversário!

Mas o que me traz à tribuna, lamentavelmente, a exemplo de outros deputados que me antecederam, são algumas denúncias ruins, porque a falta de política pública nas nossas cidades do nosso estado é muito grande.

O assassinato de três moradores em situação de rua na cidade de Campinas, no último fim de semana, expôs mais uma vez o déficit da política social direcionada a essa parcela da população. Ainda bem que a secretária Darci da Silva conseguiu através de negociação impedir a redução de mais de 45% no orçamento para assistência social que poderia acontecer.

Veja discurso completo no www.josecandido.com.br

http://josecandido.com.br/por-politicas-de-inclusao-dos-moradores-em-situacao-de-rua

Prêmio Santo Dias 2011 é entregue em sessão solene a cinco vencedores

Deputado José Candido
O Deputado Estadual José Candido, membro efetivo da Comissão de Direitos Humanos, participado evento e se emocionou com as homenagens.

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos entregou nesta segunda-feira, 5/12, em sessão solene aberta pelo presidente da Casa, Barros Munhoz, e conduzida pelo presidente da comissão, Adriano Diogo (PT), o prêmio Santo Dias 2011.

Nesta 15ª edição os vencedores foram: Movimento Mães de Maio; Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe); irmã Michael Mary Nolan; pastor Ariovaldo Ramos dos Santos; e Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Campinas.

As entidades

As Mães de Maiosão um movimento da Baixada Santista responsável por uma verdadeira peregrinação de mães na busca de explicações sobre o assassinato de seus filhos, mortos principalmente no período que se seguiu aos ataques da organização criminosa PCC, em maio de 2006. Na Baixada, as mortes acontecem até os dias de hoje, e todos os casos permanecem arquivados sem solução, e muitos sequer sem investigação. O movimento luta ainda pela federalização da investigação dos crimes, na esperança de solucioná-los.
Débora – Mães de Maio
O Condepe é conhecido por sua atuação expressiva em defesa dos direitos humanos no Estado de São Paulo. Trata-se de um órgão do Estado, controlado pela sociedade civil. Michael Mary Nolan, irmã de Santa Cruz de São Paulo, é advogada de direitos humanos, voltada ao trabalho com prisioneiras estrangeiras. O pastor batista Ariovaldo Ramos trabalha no Serviço de Evangelização para a América Latina e está preocupado com o crescimento de igrejas neopentecostais, com pregações superemocionadas e investimentos em mídia, o que diverge da orientação das igrejas evangélicas tradicionais. O Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Campinasé uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1978, que desenvolve atividades de atendimento a vitimas de violação dos direitos humanos.
Ao receber o prêmio, Débora Silva, representante das Mães de Maio, teve dificuldade em se pronunciar por conta da emoção. Ela agradeceu sobretudo à Comissão de Direitos Humanos e a Adriano Diogo, que na sequência anunciou a presença do jornalista Renato Santana. Ele publicou diversas matérias na Tribuna de Santos, denunciando os assassinatos e teve que sair do Estado de São Paulo. Atualmente trabalha em publicação na defesa de indígenas que lutam contra a invasão de suas terras.

Veja matéria completa no www.josecandido.com.br

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Premio de Direitos Humanos

A PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF FARÁ NESTA QUINTA HOMENAGEM PÓSTUMA NA CATEGORIA ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA A JUÍZA PATRICIA ACIOLI; FILHA E IRMÃ RECEBERÃO O PRÊMIO

Agência Brasil_ A presidenta Dilma Rousseff participa hoje (9) da cerimônia de entrega do Prêmio Direitos Humanos, no Palácio do Planalto. É a 17ª edição do prêmio que busca homenagear pessoas que se destacaram, de alguma forma, no combate às violações dos direitos humanos. Nesta edição, a juíza Patrícia Acioli, do Rio de Janeiro, recebe homenágem póstuma na categoria enfrentamento à violência. A filha e a irmã da juíza receberam o prêmio.

Ela foi assassinada em agosto deste ano pelo crime organizado no Rio. A juíza era titular da comarca de São Gonçalo, região metropolitana da capital, e combatia milícias que atuam na região.

A cerimônia antecede o Dia Internacional dos Direitos Humanos, que será comemorado amanhã (10), aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948.

Além de Patrícia Acioli, também serão premiados Geralda Magela da Fonseca, conhecida como Irmã Geraldinha, freira da Congregação Romana de São Domingos, uma das fundadoras da Pastoral da Criança.

Na categoria Educação em Direitos Humanos, a premiada é Rita Gomes do Nascimento, indígena do grupo Potyguara de Crateús, no Ceará. Na década de 80, ela iniciou a militância nas pastorais da Criança, da Juventude, da Saúde, Indígena e dos movimentos de organização de bairros. Atualmente, é conselheira da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação (CNE). Sua atuação se concentra na educação indígena quilombola.

O prêmio também destaca a questãoo da mídia e homenageia a Agência da Boa Notícia Guajuviras, de Canoas, no Rio Grande do Sul. Essa agência foi criada por meio de um convênio com o Ministério da Justiça, executado pela prefeitura de Canoas.

Na categoria Centros de Referência em Direitos Humanos, o premiado é o Centro de Defesa da Cidadania e dos Direitos Humanos Marçal de Souza Tupã-i, situado em Campo Grande (MS).

Na categoria Enfrentamento à Pobreza,o agraciado é João Batista Frota, conhecido como Padre João. Ele é criador do Centro de Profissionalização Padre Ibiapina (Ceprohpi), trabalha na preparação da população mais carente para o mercado de trabalho.

O agraciado na categoria Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua é Anderson Lopes Miranda, líder do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR). Ele morou na rua até os 41 anos. Atualmente, percorre o país organizando as bases do movimento, na luta pelo fim do assistencialismo e pela reivindicação por políticas públicas efetivas de moradia e dignidade às pessoas que vivem nas ruas.

Na categoria Segurança Pública, o premiado é o ex-secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Brisolla Balestreri. Ele trabalhou no Ministério da Justiça durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, era titular da pasta.

Na categoria Enfrentamento à Tortura, o prêmio este ano é do Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba (Flamas), maior polo manicomial do país, com aproximadamente 2.800 leitos psiquiátricos. O fórum promove atividades que envolvem a discussão e a proposta de mudança no modelo de atenção à saúde mental na região.

O Instituto Vladimir Herzog é o premiado na categoria Direito à Memória e à Verdade. Já a premiada na categoria Diversidade Religiosa é a ativista Flávia da Silva Pinto, que se dedica a mutirões de orientação para a legalização jurídica dos terreiros. Na categoria Igualdade Racial, a premiada é Creuza Maria Oliveira, presidente da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas.

A professora Berenice Bento é a contemplada na categoria Igualdade de Gênero. Ela é professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e coordenadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Diversidade Sexual, Gêneros e Direitos Humanos (Tirésias/UFRN).

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, é o homenageado na categoria Garantia dos Direitos da População LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e transexuais), pelo seu relatório aprovado neste ano reconhecendo a união entre pessoas do mesmo sexo como entidade familiar. O prêmio também homenageia a Defensoria Pública do Estado do Pará pelo programa Balcão de Direitos, que percorre o estado levando atendimento jurídico à população mais carente.

Na categoria Erradicação do Trabalho Escravo, o premiado é Antonio José Ferreira Lima Filho, que atua no Maranhão no atendimento às vítimas de trabalho escravo, acompanhando ações judiciais contra os escravistas contemporâneos, na busca pela reparação do dano moral individual.

O prêmio na categoria Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente é para Wanderlino Nogueira Neto, procurador de Justiça aposentado do Ministério Público da Bahia e ativista pelos direitos humanos de crianças e adolescentes.

A assistente Social Maria Luíza Teixeira é a homenageada na categoria Garantia dos Direitos da Pessoa Idosa. Ela planejou, entre 2008 e 2010, o projeto Transporte Urbano e População Idosa: Construindo Nova Relação, que contribui para a sensibilização de motoristas e cobradores com relação à violência cometida contra o idoso usuário do transporte coletivo urbano, explicando, informando e debatendo o Estatuto do Idoso. Atualmente, desenvolve o projeto em todas as empresas de ônibus de Natal (RN).

Na categoria Garantia dos Direitos das Pessoas com Deficiência, o prêmio foi para a organização não governamental (ONG) Escola de Gente, que desenvolve ações para colocar a comunicação a serviço da inclusão de grupos em situação vulnerável, especialmente pessoas com deficiência e vivendo em situação de pobreza.

A comunidade indígena Kaingang Fán Nhĩn, do Rio Grande do Sul, foi a homenageada na categoria Garantia dos Direitos dos Povos Indígenas. Situada no Bairro Lomba do Pinheiro, espaço urbano de Porto Alegre, a comunidade é constituída por 25 famílias, totalizando cerca de 150 pessoas.

Outro homenageado é o professor Antonio Augusto Cançado Trindade, que contribuiu para a formulação da política de direitos humanos no Brasil, ainda no período da redemocratização do país.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Homem centenário recebe homenagem em Suzano

Sr. Paixão e Robson durante a coroação

No dia 19 de Novembro o senhor Manoel Paixão, de 114 anos, morador do bairro de Palmeiras, em Suzano, foi homenageado pelos vizinhos. A atividade aconteceu no Centro Cultural Palmeiras.

O evento fez parte das comemorações do mês da consciência negra (Novembro).

A ideia era homenagear, com uma coroação, uma pessoa que teve a oportunidade de presenciar muitas histórias, inclusive a do povo negro, povo do qual sr. Paixão descende.

Veja matéria completa no www.josecandido.com.br